A redação às vezes é como uma daquelas habilidades indescritíveis, que só o melhor dos melhores profissionais realmente possui. Eles sabem como e o que escrever para aumentar as conversões, e parecem ter uma varinha mágica que acenam sobre as palavras e tudo se transforma em ouro.

Neste post, vamos conhecer cinco dicas de redação baseadas na psicologia que vão fazer você chegar bem perto desses profissionais invejáveis:

1. A verdade ilusória

O efeito ilusório da verdade ajuda o cérebro a tomar decisões ao longo do dia, agindo como um atalho para o processo de tomada de decisão, para que o cérebro não fique sobrecarregado. O takeaway aqui é: Diga ao público o que você vai dizer e, em seguida, diga o que você disse. Dentro de sua cópia, repita as declarações que você mais deseja que seu público acredite e se lembre.

2. Rima

Um estudo de 2000 realizado no Lafayette College, nos Estados Unidos, observou que forma poética impacta as percepções de precisão das pessoas em relação ao comportamento humano. O cérebro processa facilmente palavras e frases que rimam. Às vezes, isso ajuda um conteúdo a ser mais verdadeiro ou preciso. Usar rimas em seu texto adiciona um pouco de excentricidade à sua voz escrita e também pode fazer suas reivindicações parecerem mais válidas.

3. Posicionamento serial

Psicólogos que estudaram o efeito de posição em série descobriram que quando os participantes ouvem uma lista de palavras e as repõem imediatamente, eles têm maior precisão com as palavras no início e no fim de uma série. Isto é conhecido como “primado” (para as primeiras palavras) e atualização (para as palavras no fim da lista.) Ao escrever um texto, coloque as ideias que você mais se importa que o leitor se lembre no início e no final. Dentro de um contexto de e-mail, por exemplo, isso significa que a sua linha de abertura e linha de fechamento são as duas frases mais valiosas.

4. Liberdade

Seus leitores têm a liberdade de escolher. E essa é outra estratégia baseada na psicologia que está provada a ter poderes de persuasão. Relembre aos seus leitores que eles têm a liberdade de fazer uma escolha, ninguém está forçando-o a agir. Este lembrete simples pode tornar o conteúdo mais interessante.

5. Adjetivos

Um estudo da Emory University, nos EUA, provou que os adjetivos texturais ativam o cérebro de uma forma única. Ele descobriu que usando metáforas texturais, como “Tendo um dia áspero?” versus “Tendo um dia mau?” ativa áreas sensoriais do cérebro de maneiras muito diferentes. Assim, seu conteúdo deve fazer bom uso de adjetivos texturais no lugar de coloquialismos.

Essas dicas podem parecer simples. Mas, muitas vezes, a inserção de uma única palavra pode aumentar significativamente o sucesso do seu conteúdo.