Acesse esse conteúdo GRATUITAMENTE Já possui uma conta?

Redes Sociais: as mais usadas e principais estratégias

As mídias socias são um mar de oportunidades, mas é preciso entendê-las bem antes de começar. Nesta aula você entenderá como planejar sua presença nas redes sociais e o que fazer para utilizá-las de maneira estratégica.

Você sabe como planejar sua presença nas redes sociais e o que fazer para utilizá-las de maneira estratégica, dentro do marketing digital?

Afinal de contas, seriam as redes sociais, como por exemplo, Facebook, Instagram, Linkedin, Twitter, e até mesmo YouTube e o tão popular WhatsApp, de fato, importantes, ou tudo não passa de modismo?

Segundo Erik Qualman:

“nós não temos uma escolha se devemos fazer social media, a escolha é quão bem nós faremos isso.”

Se pensarmos que boa parte dos jovens atualmente sequer enviaram uma carta pelo correio, e que aproximadamente metade dos millennials, preferem perder o olfato a perder a tecnologia, teremos uma visão clara da necessidade de se relacionar com esta população, por meio das mídias sociais.

Quando pensamos que mais da metade da população em todo o mundo tem menos de 30 anos, e que é uma população completamente adepta de tecnologia e mídias sociais, conseguimos enxergar o papel que estas redes sociais exercem na vida destas pessoas.

Afinal, mídias sociais = relacionamento.

O ROI (Retorno sobre investimentos) das mídias sociais é se o seu negócio ainda terá relevância e existir, daqui 5 anos, por exemplo. São elas que influenciam as decisões de compra em 93% das vezes. Até mesmo os casamentos, 1, de cada 3, começam online!

Diferença entre mídias sociais e redes sociais

Mas, o que difere uma rede social de uma mídia social? Veja na imagem abaixo um comparativo:

Tendo diferenciados os conceitos entre rede social e mídia social, vamos ao relatório realizado pela Hootsuite e We Are Social, denominado Digital in 2018, que traz um interessante panorama do digital no Brasil, conforme veremos na imagem a seguir:

Digital in Brazil 2018 - We are Social & Hootsuite

O uso do celular hoje é um dos objetos mais pessoais e mais utilizados em todo o mundo. Livros, filmes, sites, amigos, tudo está “linkado” ao celular e as redes sociais num todo.

As redes sociais mais utilizadas

A pesquisa abaixo, apesar da margem de erro, mostra as redes sociais mais utilizadas no Brasil. Vale lembrar que esse relatório foi feito no início de 2018 com base em dados de 2017.

Redes sociais mais usadas no Brasil 2018

Os 3 pilares de uma rede social

Se pensarmos sobre o que nos motiva a abrir o Instagram, o Facebook, e tantas outras redes sociais, veremos que nossas ações estão em busca do conteúdo que tais redes promovem. É o conteúdo um dos pilares de uma rede social.

3 pilares das mídias sociais

Conteúdo

Seja ele gerado por pessoas, empresas, marcas, é o conteúdo o fator primordial para uma rede social. Afinal, qual seria o sentido de manter uma rede social sem conteúdo, não é mesmo?

Pessoas e Marcas/Empresas

Além do conteúdo, outro elemento importante para compor uma rede social são as marcas e empresas, artistas, pessoas, etc.

Seja um político até uma figura pública, banda de rock ou empresa, todos estão neste meio, interagindo dialogando, gerando conteúdo e interesse.

Conexões

O terceiro pilar que compõe uma rede social são exatamente as conexões, ou seja, as interações entre as pessoas e os conteúdos, e todos os envolvidos neste emaranhado.

Para ser bem-sucedido em uma estratégia de rede social, é extremamente necessário apostar em conteúdo, afinal, sem ele não haverá a interação, interesse e presença digital de sua marca, negócio ou produto.

Portanto, lembre-se sempre destes 3 elementos, que deverão nortear suas ações em uma mídia social.

O consumidor também é mídia

Outro fator fundamental no que tange uma boa estratégia em mídias sociais é ter em mente que o consumidor também é mídia.

Afinal, ele é um propagador em potencial de sua marca e empresa.

É importante que o conteúdo utilizado na estratégia de mídia social gere conversas, interatividade com o seu público.

View this post on Instagram

Come to the dark side #Starbucks #StarWars

A post shared by Ludy Amano (@ludyamano) on

Não é apenas promover, fazer propaganda do seu negócio, mas sim, abordar assuntos relevantes ao seu público, que gerem interesse na sua marca, de maneira indireta.

Como diz Matt Goulart:

“Social media é sobre pessoas, não sobre a sua empresa”.

Pense nas pessoas, nos conteúdos que elas gostariam de ver, e não em se autopromover e ficar falando a todo tempo, sobre a sua própria empresa. Produza conteúdos que entregue valor a estas pessoas.

Comece do começo

Partindo da premissa de que você resolveu atuar nas mídias sociais, é preciso lançar mão de uma estratégia bem definida.

Como fazer isso? Primeiramente, é preciso compreender a missão de seu negócio. O que você espera atuando nas mídias sociais? Que resultados você espera? Onde você quer chegar?

De posse destas informações, partimos para a parte tática:

  • Onde postar?
  • Como eu posto?
  • Que horas devo postar?
  • Faço imagens?
  • E os títulos?

Sempre comece do começo, traçando a estratégia, planejando o conteúdo que será postado, definindo antes de tudo, o objetivo de marcar esta presença online. Caso você não siga este roteiro, fatalmente estará fadado ao fracasso, realizando postagens aleatórias e não chegando a lugar algum.

Likes não pagam aluguel

Não adianta criar postagens apenas buscando “likes”. Não são eles que pagarão suas contas ou o aluguel. É preciso ter clareza nos resultados que você objetiva e definir uma estratégia de conteúdo que te leve a tais objetivos.

Cada postagem pode ter um objetivo diferente. Geralmente um objetivo atrelado à uma das etapas da jornada de compra.

Plano de conteúdo

Para não criar postagens aleatórias, crie um plano de conteúdo, levando em conta sua jornada de compra e por persona.

Com isso, temos a capacidade de criar conteúdos valiosos, que tragam valores reais para a vida desta persona.
Para tanto, devemos sempre seguir as etapas, como:

  • Aprendizado e descoberta;
  • Reconhecimento do problema;
  • Consideração da solução;
  • Decisão de compra.

Tenha em mente que cerca de 80% do volume do seu conteúdo será direcionado ao aprendizado e descoberta, e reconhecimento do problema, e os 20% restantes, para consideração de solução e decisão de compra.

Esta porcentagem se justifica da seguinte forma: já pensou se você ficasse a todo tempo enaltecendo o quanto é incrível ser seu cliente, com postagens em volume excessivo de depoimentos de clientes, que são conteúdos de decisão?

Você acreditaria que este fluxo de conteúdo iria atingir seus objetivos? Na verdade, para engajar as personas, é preciso pautar os conteúdos, de uma forma que eles gerem o valor que ela busca, supram necessidades, solucione problemas, para aí então ela confiar no seu produto, marca e serviço, compreende?

Territórios da Marca: qual conteúdo produzir?

 

Territórios da Marca

É comum não saber exatamente qual conteúdo produzir. Para ajudar neste sentido, podemos nos utilizar da pirâmide de territórios da marca:

De acordo com esta pirâmide, temos uma expectativa que gira em torno do seguinte cenário:

  • Falar menos da marca;
  • Falar um pouco dos produtos da marca;
  • Falar mais ainda das experiências que os produtos da marca oferecem;
  • E fale muito mais dos territórios.

Mas o que são estes territórios? Confira na imagem a seguir:

Territórios são as áreas temáticas onde a marca pode atuar. Se pensarmos em uma empresa de marketing digital como a Mirago, por exemplo, podemos mencionar territórios que se relacionam com a empresa, como tecnologia, marketing, comportamento, vendas, consumo, branding, empreendedorismo, etc.

Tudo isso está rodeando a marca, e que servirão de temas para a produção de conteúdos ricos e relevantes às suas personas nas redes sociais.

Isso pode ser explorado nas mídias sociais, sem soar “chato” ou egocêntrico, por exemplo.

Como diz Gary Vaynerchuk:

“Jab, jab, jab, gancho de direita!”

Se você quer saber como ser um social media de destaque, atente-se aos exemplos de Gary Vaynerchuk, um dos profissionais mais renomados da atualidade e que demonstra, de fato, o que o é social media marketing e como se destacar no segmento.

Em um de seus livros, Gary diz que boa parte das pessoas subestimam a importância do jab. Pegando como exemplo, uma luta de box, ele retira o conceito de que o lutador não deve ficar parado, esperando o opositor vir pra cima.

Durante toda a luta, deve existir a troca de jabs, estudando o oponente.

O jab tem o intuito de, por meio de pequenos golpes, constantes, cansar a pessoa, correto? Este estudo vai aos poucos, abrindo a guarda para que você possa finalmente mandar o sue gancho de direita.

Nas redes sociais, o que percebemos, segundo a concepção de Gary, é que as marcas estão agindo errado. Elas não estudam o público, elas partem direto pro gancho de direita, que no mundo dos negócios, pode ser traduzido como uma oferta que diz COMPRA COMIGO!

Se você quer executar o melhor plano estratégico de social media, não parta pro gancho de direita antes de estudar seu cliente, antes de trocar jabs!

Pense no jab como o pequeno conteúdo, um conteúdo rico, relevante, e que traz valor. Seja no Stories do Instagram, no Linkedin, e-mail, entre outros, procure marcar presença com bons conteúdos do público, sem “dar o gancho”, mas com pequenas e instrutivas inserções, entregando conteúdo e sem pedir para ele comprar.

O conteúdo que você irá utilizar nas redes sociais não pode ser “jogado” de qualquer forma. Ele deve ser otimizado, de acordo com o canal utilizado para distribuí-lo.

Ele deve ser estratégico, relevante ao público. Após publicado, ele deve ser avaliado, percebendo qual foi o retorno, quais tipos de conteúdos tiveram melhores resultados, sempre passando por uma análise.

Melhores horários para postar nas redes sociais

Há estudos sobre o tema “melhores horários para publicação em social media”, porém, não há uma regra específica que possa nortear todos os negócios da mesma forma. Isso pelo fato de que é sempre necessário mensurar os resultados, de acordo com a reação das pessoas.

Por exemplo, se você tem como negócio, uma balada, obviamente o comportamento e reação o seu público, será diferente daquele de uma padaria.

Há uma média geral de horários considerados “melhores”, porém, ela serve como um ponto de partida, que deverá ser adaptada à realidade do seu negócio e do seu público.

A palavra-chave neste quesito é testar. Sempre teste horários e veja como é o retorno.

Em um desses estudos a Sprout Social revelou os seguintes melhores horários:

Melhores horários para postar no Facebook

Melhores horários para postar no Instagram

Melhores horários para postar no Linkedin

Melhores horários para postar no Twitter

Alcance orgânico x alcance pago

O alcance orgânico da rede social se refere ao percentual de pessoas que a sua publicação alcança de forma gratuita, ou seja, sem a necessidade de se investir dinheiro.

Em contrapartida, o alcance pago é aquele cujo post é impulsionado.

A tendência é que com o tempo, redes sociais como o Instagram, por exemplo, diminuam seu alcance orgânico, a exemplo do que já ocorreu e ocorre com o Facebook.

Portanto, se você está pensando ainda se deve ou não começar uma estratégia de social media no Instagram, não perca mais tempo, o momento é agora.

Também jamais deixe de impulsionar as publicações para chegar em um número maior de pessoas, isso é muito importante. Para tanto, não deixe de utilizar o gerenciador de anúncios presente no Facebook.

Evandro Garcia5 meses atrás

Video removido do curso

O video de social media foi removido por violar termos do serviço do youtube. Como assisto esta aula?

Lucas Fausto6 meses atrás

Problemas em responder o quiz

Estou tentando responder o Quiz, aparece o botão "Reiniciar o teste" mas o mesmo não carrega e não atualiza.

Envie sua dúvida

  • [RELATORIO] Digital in 2018 - Southern America - Parte 1
  • [RELATORIO] Digital in 2018 - Southern America - Parte 2