Um profissional experiente, como um web designer, por exemplo, investe tempo em testes A / B para layout, cores, navegação, fluxo de informação e praticamente todos os aspectos da experiência do usuário online para descobrir o que funciona melhor com a sua base de clientes. Às vezes, eles ficam chocados ao descobrir que o conhecimento convencional está errado.

Quer ver outro exemplo? Muitos profissionais recebem a informação de que gráficos são cruciais para atrair a atenção de leitores. Mas e se a colocação ou o tipo de gráficos em sua página está prejudicando suas visualizações? Para ser eficaz, os gráficos em sua página precisam entregar impacto psicológico, e contar uma história que se relaciona com o assunto sem distrair o leitor.

Os elementos da página são uma outra consideração. Tudo, desde as cores que você escolher até onde você coloca a sua chamada à ação (CTA) contribui para processo de decisão do cliente, seja comprar, se inscrever ou saber mais.

Usando princípios fundamentais da teoria da Gestalt para o design do site pode ajudar a direcionar os olhos do usuário para o que você quer que ele veja. Ela ajuda as pessoas a assimilarem informações e entenderem as mensagens que são passadas. Isso é importante porque o fluxo inconsciente de movimento em locais físicos, leitura e atenção tendem a ser imprevisíveis. E uma vez que o comportamento humano é imprevisível, muitas vezes você pode aumentar suas taxas de conversão simplesmente movendo algumas coisas na sua página.

O comportamento humano é infinitamente fascinante. O que funciona para mulheres de 30 anos pode não funcionar para adolescentes ou até mesmo para os homens da mesma idade. Teste de usuário é a chave.

A web de hoje é construída sobre a experiência do usuário, e a experiência do usuário mais gratificante é impulsionada por fatores psicológicos destinados a reduzir a confusão, atender às expectativas e gentilmente incentivar o usuário a agir.

A sua estratégia de web inclui gatilhos psicológicos? Conte nos comentários!