O Google utiliza diversos fatores para o seu ranqueamento. Alguns são conhecidos, como o PageRank. Outros são guardados pela empresa como segredo, mas temos alguma noção de como funcionam graças ao trabalho de profissionais de SEO que estão constantemente testando e discutindo o algoritmo do Google.

Antes de discutir quais são os fatores, entretanto, é melhor sabermos como o Google funciona. Isso significa compreender como o seu link é encontrado, indexado e ranqueado pelo Google.

Reproduzir vídeo
4.9
4.9/5

(1051 avaliações)

Use o SEO (Search Engine Optimization) para Otimizar seu Site e ganhar mais Vibilidade na Busca Orgânica. Curso de SEO 100% Gratuito e Online. Comece Já!

Como funciona o google?

Rastreamento de novos sites (“crawling”)

Esse processo envolve achar novos sites e novas páginas. Para isso, eles utilizam “robôs” que vão procurar novos conteúdos nos vários links das páginas. Quando seu site é linkado em alguma pagina que já está indexada, esses robôs a alcançam e identificam como nova. Cada mecanismo de busca tem seu próprio robô, ou spider como ele também é conhecido.

O robô do Google se chama Googlebot. Existem diversos coutros como: Bingbot, Slurp, DuckDuckBot, Baiduspider e diversos outros.

Indexação

Uma vez identificada como uma página ainda ausente do índice do Google, a ferramenta de busca começa a catalogar (indexar) em seu sistema o novo achado. É nessa fase que o Google decide quais assuntos estão relacionados ao seu site.

Ranqueamento

A fase final do processo é aquele em que o Google se decide pela ordem em que as páginas serão apresentadas. Aqui entram muitos fatores, como relevância, número de links que direcionam para página, relevância dos links que indicam, tempo de permanência do usuário, entre muitos outros.

É possível estar na internet mas fora do Google?

Sim! A pesquisa no Google não acontece na internet, mas no índice próprio do mecanismo. Se por algum motivo seu site não estiver indexado pelo mecanismo, ele não poderá ser encontrado por aqui.

Site Spam

Um tipo de site que não está no índice do Google são aqueles que são observados pelo mecanismo como Spam. Isso significa que a página possui:

  • Conteúdo copiado;
  • Baixa qualidade;
  • Conteúdo automático;
  • Qualquer página que atrapalha a experiência de busca do usuário.

Fazer um bom conteúdo é importante por isso. Quando você copia o material do concorrente, corre risco de que o Google identifique essa ação e tire o seu site do índice, impedindo que você apareça nas pesquisas.

Black Hat SEO

Se você quiser encontrar as práticas que o Google aceita como legítimas para o SEO e o que vai contra a política da ferramenta de busca, conheça as Diretrizes para Webmasters do Google.

Qualquer prática que vai contra as Diretrizes para Webmaster é considerada uma técnica black hat. Geralmente, elas são formas de manipular o algoritmo do Google com o único intuito de levar vantagens e gerar lucros.

Fatores de Ranqueamento

Os fatores de Ranqueamento, como dissemos, não são todos abertamente conhecidos. O Google faz segredo sobre a maioria deles, apesar de alguns serem conhecidos.

Entretanto, diversas empresas focadas em SEO já se aprofundaram nos estudos e hoje se discutem a existência de cerca de 200 fatores. Foi graças ao trabalho de empresas como a Moz e a Backlinko que hoje temos esse maior contato com os fatores.

Fatores de ranqueamento
Fatores de ranqueamento

A seguir, listamos alguns deles:

  1. Tempo de registro do domínio – o Google entende que domínios registrados por apenas um ano podem sumir rapidamente, portanto dão preferência a domínios que estão registrados por um tempo maior no futuro;
  2. Idade do domínio – pelo mesmo motivo que o fator acima, a idade do domínio é um fator. Afinal, domínios mais antigos já provaram que vão continuar existindo;
  3. Palavra-chave no título – se o título do texto contém a palavra-chave, especialmente no título, ele provavelmente quer indicar ser relevante sobre o assunto;
  4. Velocidade de carregamento – é mais do que comprovado que a velocidade de carregamento da página influencia seu ranqueamento;
  5. Idade do conteúdo – um texto recém publicado tem mais potencial para responder perguntas mais recentes sobre um assunto. Isso também é afetado pela frequência de edição das páginas. Na verdade, páginas antigas que são regularmente atualizadas costumam ter um desempenho melhor;
  6. Usabilidade móvel – se o site é feito para funcionar melhor nos dispositivos móveis, ele é melhor ranqueado;
  7. Autoridade do domínio – se duas páginas tiverem fatores de ranqueamento muito próximos para um resultado, a autoridade do domínio é usada para o desempate;
  8. Segurança da página e dos dados – páginas que dão maior segurança e privacidade aos visitantes terão um desempenho mais alto. Por isso é importante conseguir certificados de segurança;
  9. Uso do Google Analytics e Google Search Console – muitos especialistas afirmam que ter essas ferramentas instaladas no site ajudam no ranqueamento, já que você oferece mais informações ao Google;
  10. Backlinks de qualidade – ser linkado para sua palavra-chave por páginas relevantes e domínios com autoridade ajuda sua página a se posicionar.

Assim como esses fatores de ranqueamento, existem muitos outros. Não se esqueça de prestar atenção principalmente na qualidade de leitura e usar uma ferramenta como o Yoast, plugin do WordPress que ajuda a entender melhor se a página está dentro da qualidade esperada.

O próximo passo…

Agora que você entendeu os fatores de ranqueamento, talvez se interesse por saber mais sobre blogs corporativos e como eles podem ajudar o seu marketing digital.

Não se esqueça de assistir as aulas do curso de SEO Básico e também as do curso de SEO Completo.

Ludy Amano

Fundador da Mirago, atuou como consultor de marketing digital por muitos anos. Formado em comunicação social pela ESPM, já ministrou aulas em instituições como BSP, Trevisan Escola de Negócios e Escola São Paulo. Atualmente se dedica a inovação na educação do mercado digital.