A expansão das mídias sociais nos últimos anos deu às marcas uma linha direta de comunicação com os consumidores de forma como eles nunca antes. As plataformas sociais se tornaram o canal para anúncios de produtos, iniciativas de engajamento de clientes e questões de atendimento ao cliente. Mas uma iniciativa começou a se destacar entre todas eles – publicidade e marketing.

As marcas querem gastar seu dinheiro de publicidade onde os consumidores estão mais aptos a ver e interagir com seu conteúdo, e a mídia social é um viveiro de engajamento da marca. Claro, as contagens de seguidores são de arregalar os olhos e têm valor em termos de apelo de massa, mas quando você está querendo comercializar um produto ou serviço que é destinado a um público de nicho, e você precisa de um membro de confiança e influente desse círculo, as celebridades podem não ser sua melhor aposta. É quando você se volta para os micro-influenciadores – pessoas com menores seguidores, mais leais que têm influência significativa dentro de suas respectivas comunidades.

Aqui está o porquê:

Maior envolvimento

Claro que, na medida em que você diminui a contagem de seguidores. Por outro lado, à medida que aumenta os seguidores você ganha de volta um alcance mais amplo, mas perde o engajamento que impulsiona as vendas e fidelidade à marca. Como tal, o ponto ideal para influenciadores está na faixa de seguidor 10K-100K. Isso resulta em um alcance bastante amplo, garantindo também uma quantidade sólida de engajamento.

Números não são tudo

Considere-se uma grande marca esportiva que está lançando uma linha de tênis especificamente para corredores profissionais. Você deve pagar centenas de milhares de reais para a Selena Gomez (98.2M seguidores) colocar uma foto no Instagram calçando o tênis? Ou há mais valor em usar um influenciador como Vanderlei Cordeiro de Lima (seguidores 30K Instagram), que foi um dos corredores de maratona de maior sucesso no mundo? Se a marca quer se envolver com um público que eles sabem que é diretamente do mercado dos seus produtos, eles escolhem Keflezighi ao invés da Selena Gomez.

Como uma marca, você deve se envolver com os consumidores que são apaixonados com os produtos que está vendendo. Quer se trate de artigos esportivos, aplicativos móveis/jogos, roupas ou alimentos/bebidas. Ao utilizar micro-influenciadores, você vai conduzir a visibilidade e o envolvimento e lealdade, bem como as vendas, sem ter que investir um mega valor.

Essa é uma das questões que volta e meia surgem lá no nosso curso de marketing digital, o MDE – Marketing Digital Expert, e realmente muda a forma de pensarmos em ações com influenciadores.