É incrível o que dá pra fazer com remarketing. As pessoas costumam ficar surpresas com o fato de que, ao visitar um site de compras para “dar uma olhada”, elas atraiam anúncios. Mas a possibilidade de acertar uma audiência que já demonstrou interesse é uma das coisas mais interessantes do marketing digital.

Mesmo assim, não são todos profissionais no mercado de trabalho que sabem fazer uso do remarketing. Dominar o assunto pode ser um diferencial para qualquer carreira ou para que seu negócio fique à frente da concorrência.

Quer saber mais sobre remarketing? Então esse artigo é pra você. Vamos lá!

O que é remarketing?

Para começo de conversa, é bom definir do que estamos falando. Remarketing é o ato de fazer marketing novamente para uma pessoa que já atingiu.

O conceito básico é muito simples, mas o que costuma gerar dúvidas é a forma como isso é feito. Basicamente, a ideia é reativar clientes que demonstraram interesse pela marca ou produto mas não fecharam negócio ainda.

O remarketing pode ser usado em diversos momentos dentro do seu planejamento de Marketing Digital. Um exemplo é quando você envia um e-mail oferecendo um e-book para um cliente que leu um texto no seu blog que se relaciona a esse material rico.

Remarketing X Retargeting

Uma questão que pode gerar algumas dúvidas é a relação entre remarketing e retargeting. É importante ressaltar que não existe um consenso sobre isso, mas existem alguns pontos de vista. Eis o nosso.

O remarketing foca na jornada de compra, oferecendo material de marketing e não de vendas. Ele trabalha o mesmo produto para o mesmo público, mas com novas abordagens e buscando mais eficiência.

Já o retargeting é uma forma de aproveitar um mesmo target diversas vezes com propostas distintas. Imagine que você criou um público de pessoas que compraram TV Led nos últimos 90 dias e faz uma campanha no Facebook para videogames e home theaters.

Vantagens de fazer remarketing

Existem vários benefícios que justificam fazer remarketing e contar com ele no seu planejamento. Todas elas estão relacionadas ao grande objetivo do remarketing: aumentar a taxa de conversões.

Existem muitos potenciais leads que se perdem no seu processo por acabarem ficando no meio do caminho e não continuarem a evoluir dentro do fluxo. O remarketing ajuda a reativar esses contatos e gerar um novo interesse.

Pare para pensar: qual a porcentagem de leads que convertem imediatamente ao visitarem sua página pela primeira vez? Quanto mais complexa a venda, menor vai ser essa taxa.

O remarketing ajuda a manter o lead ativo durante o processo de decisão de compra. Isso significa acompanhar o cliente durante uma boa parte do processo e se manter na mente dele.

O remarketing pode até mesmo fazer parte de uma estratégia de Inbound Marketing, ajudando a descer o cliente pelo funil. Se você quiser saber mais sobre essa metodologia, baixe e assista nosso webinar sobre o assunto no formulário abaixo.

Webinar Inbound marketing: Transformando desconhecidos em clientes

Descubra como o Inbound Marketing pode aumentar as suas vendas e atrair novos clientes para o seu negócio.

Quais plataformas possibilitam remarketing?

Existem muitas plataformas que permitem anúncios para audiências das quais você já tem dados. Com isso, fica mais fácil acertar o público que você deseja impactar com seu conteúdo.

Vamos conversar sobre onde você pode fazer uso do remarketing e qual a utilidade dele.

Facebook

O remarketing no Facebook é mais utilizado para anúncios. Você pode acrescentar uma lista de público conhecido através da ferramenta de Público Personalizado.

Assim você pode incluir os dados das pessoas que quer impactar ou pedir para o Facebook que envie o seu anúncio a pessoas que já se relacionaram com seu negócio na própria mídia social.

Google Ads

Google Ads é uma ferramenta importante para Marketing Digital. Entre o remarketing no Google Ads Search e o Display, é possível impactar clientes com conteúdo e produtos nos mais variados estágios da Jornada de Compra.

Na Rede de Pesquisa (Search), você terá a possibilidade de fazer anúncios apenas de links. O interesse do cliente é grande, já que ele estará pesquisando novamente sobre o assunto. Isso aumenta a conversão e torna esse tipo de remarketing muito vantajoso.

Já na Rede de Display, é possível criar banners e fazer uso de imagens, o que costuma auxiliar na conversão. Busque mostrar sempre imagens do produto em uso ao invés de imagens sobre um fundo neutro.

Instagram

O remarketing no Instagram é feito através do Gerenciador de Negócios do Facebook. Você pode tanto especificar um Público Personalizado de pessoas que interagiram com seu perfil comercial no Instagram quanto criar um anúncio que será exibido apenas na rede social de fotos.

Se o seu interesse é fazer Remarketing apenas na conta do Instagram, basta alterar os Posicionamentos do anúncio, tirando as demais opções. Dá para, por exemplo, anunciar no Instagram para um público que esteja relacionado ao Facebook ou WhatsApp.

YouTube

Também pode ser uma parte eficiente da sua estratégia incluir vídeos, e o remarketing no Youtube é o lugar certo. Para isso, você pode trabalhar a partir da plataforma do Google Ads Display.

Outra plataformas

Também é possível realizar remarketing em outras redes sociais, como o Twitter e o LinkedIn. Nesses casos, é preciso instalar sistemas próprios de cada rede social que funcionam da mesma forma que o Pixel do Facebook.

O LinkedIn é especialmente eficiente para usar remarketing no B2B, mas não deixa de ser útil para outros tipos de negócio. O remarketing no Twitter costuma ser usado por empresas para retorno de carrinhos abandonados, mas também pode ser usado em outras estratégias.

E-mail marketing

Um dos modelos mais clássicos de remarketing é o uso de e-mail marketing. Isso envolve diversas questões de abertura e conversão dos disparos e precisa seguir as práticas mais eficientes para essa mídia.

Ao fazer remarketing por e-mail, é interessante se focar em audiências engajadas, o que pode ser verificado com CRMs e na sua ferramenta de e-mail marketing.

Boas práticas de remarketing

Existem algumas questões que devem ser levadas em conta ao se fazer uma estratégia de remarketing. São práticas que ajudam seu processo a realmente funcionar e evitam dores de cabeça que podem surgir.

Respeitar o tempo de decisão do cliente

É muito difícil vender um carro em cinco minutos. O processo de decisão do cliente, nesse exemplo, é longo e complexo devido a questões de custo do produto, gastos posteriores e legislação.

Também não adianta ficar horas tentando vender um chiclete. Se o cliente não quiser gastar alguns centavos logo de cara, uma conversa longa (e cara para o seu negócio) não vai ajudar a convencê-lo de nada além de que você é irritante.

Por isso é importante respeitar o tempo de decisão do cliente do seu negócio ao fazer remarketing. E para isso, é preciso manter atualizados os dados sobre a interação do cliente. Isso pode ser feito através de um programa de CRM (Customer Relationship Management, ou Gestão de Relacionamento com Clientes).

Mantendo esse controle e entendendo seu produto, você vai saber quando é hora de deixar de interagir com um cliente e começar a trabalhar outros. Essa decisão depende do preço e da complexidade da decisão de compra.

Respeite a Jornada de Compra

Nem todos os seus clientes estão prontos para a compra. Existe toda uma Jornada de Compra a ser respeitada. Por exemplo: com um conteúdo da etapa de Aprendizado e Descoberta não está pronto para receber anúncios que empurrem a venda.

Estude a fundo a Jornada de Compra e pense em formas de fazer o seu cliente progredir nela.

O remarketing faz mais sentido em determinados momentos, como na consideração de solução e decisão de compra, mas nada impede que você o use de forma criativa se respeitar a situação em que o cliente se encontra.

Sempre cheque suas métricas

Através do seu CRM você será capaz de verificar os resultados do seu remarketing, inclusive avaliando as conversões. Isso é muito importante não só para fazer ajustes na sua estratégia, mas também para decidir se o remarketing está sendo útil.

Nem sempre o remarketing é um investimento que compensa. Mantenha sempre em mente que seus investimentos precisam dar retornos. Apesar de costumar funcionar bem, esse processo precisa ser bem pensado. Não adianta ficar gastando com anúncios se os números não batem.

Vá além das vendas

É muito comum associar o remarketing com o esforço de vendas, mas não é só para isso que ele serve. Como já discutimos acima, dá para ajudar o lead a prosseguir na jornada de compra, enviar conteúdos e muitas outras opções.

Uma ideia é usar o remarketing para a alimentação de leads. Isso não precisa acontecer só no e-mail, onde a alimentação é mais associada. Você pode, claro, aproveitar esses contatos para enviar uma newsletter, um resumo das últimas postagens no blog ou uma atualização sobre seu canal do YouTube.

Também pode aproveitar o público do remarketing, em especial os engajados, para dar tração a novas plataformas de mídia. Digamos, por exemplo, que você resolveu criar um podcast da sua marca. Anuncie isso para o seu público cativo através das redes sociais!

Não perca também a oportunidade de usar o remarketing para qualificar os leads. Para isso, o mais recomendado é oferecer materiais ricos que ele possa interagir quando dá em troca informações sobre si mesmo.

Existem inúmeras possibilidades com o remarketing, e com alguma criatividade você pode criar ideias que nós nem mesmo imaginamos. Se tiver alguma ideia diferente de como fazer uso dessa ferramenta, conta pra gente nos comentários!