Anunciar no Google realmente não é uma atividade difícil. Anunciar no Google e ter resultados significativos já é outra história. Veja este artigo e saiba como anunciar no Google.

Por mais leiga no assunto que uma pessoa possa ser, abrir uma conta no Google AdWords (ferramenta de publicidade do Google) e criar sua primeira campanha pode ser algo realmente muito fácil, principalmente se estiver utilizando o AdWords Express. O que muitos não contam é como fazer uma campanha que de fato traga resultados para sua empresa.

Como consultor de marketing digital, frequentemente me deparo com diversos erros na hora de anunciar no Google. Abaixo vou mostrar os erros mais comuns que você deve evitar.

#1 Utilizar apenas o AdWords Express

O AdWords Express é uma boa porta de entrada para anunciantes sem tempo e sem experiência, porém a ferramenta é um pouco limitada e pode não trazer os resultados esperados dependendo da forma como é utilizada. Ela elimina toda a interface do AdWords cheia de opções e simplifica o processo de criar uma campanha. Essa solução foi criada tendo como alvo os negócios locais, ou seja, empresas que não necessariamente precisam de visitas em seus sites e sim em seus estabelecimentos, ex: salão de cabeleireiro, sorveteria, restaurantes, etc.

Alguns anunciantes não compreendem muito bem esse conceito e acabam criando suas contas no AdWords Express sem saber que existem diversas outras possibilidades se estivesse utilizando o Google AdWords.

#2 Não ter clareza dos objetivos

Antes de qualquer ação em sua estratégia de marketing digital, é de extrema importância que você tenha clareza dos objetivos que você busca alcançar. Com o AdWords não é diferente. É comum encontrar pessoas analisando os resultados do Google AdWords sem saber ao certo se os dados que estão analisando são bons ou ruins.

Primeiro ponto: para saber se sua campanha está boa ou ruim é importante fazer essa análise com base no objetivo que você estipulou para ela. Se o que você precisa é de mais ligações na sua empresa, você precisa analisar primordialmente quais campanhas geraram mais ligações e não necessariamente mais cliques. Esse ponto nos leva adiante: ao item #3.

#3 Otimizar para cliques e não para resultados

Quando se fala em otimizar as suas campanhas, basicamente falamos de potencializar aquilo que está funcionando e melhorar o que está com o desempenho ruim. Para isso, lembre-se do item #2. Com base no que você definiu como obejtivo (ligações, leads, formulários preenchido, inscrições, etc) você deve fazer a otimização da sua campanha.

Decidir se você deve investir mais ou menos em uma campanha depende do resultado que ela está lhe trazendo. É comum que anunciantes sem experiência fiquem aumentando o orçamento de campanhas que trazem mais cliques e não necessariamente mais resultados.

Pense da seguinte forma: se o que você busca são pessoas interessadas no seu serviço ligando para a sua empresa, de que adianta ter 5.000 cliques de pessoas que não tem interesse no que você oferece. Foque seus esforços naquilo que te traz resultados.

#4 Não cadastrar a conversão em seu site

Ok. Eu sei quais são meus objetivos e sei que devo otimizar minhas campanhas em função deles, mas como posso saber que alguém que clicou no meu anúncio resolveu ligar para a minha empresa, ou que ela preencheu um formulário de interesse em meu site?

Não se desespere. Pensando nisso o Google criou formas de cadastrar conversões no seu site ou então no seu Google Analytics. Uma das grandes vantagens do marketing digital é que tudo é facilmente mensurável. Pretendo escrever um outro artigo mostrando como fazer isso em seu site, pode me cobrar nos comentários ;).

#5 Misturar rede de pesquisa com display

Outro grande vilão dos anunciantes é o tipo de campanha. Existem alguns tipos de campanhas e uma delas é a que mistura Rede de Pesquisa com Rede de Display. Evite usar esse tipo específico de campanha, pois ela costuma não trazer os resultados esperados uma vez que Display pode consumir grande parte do seu orçamento e as duas redes possuem formas diferentes de serem otimizadas.

Procure criar campanhas separadas apenas para Rede de Pesquisa e outra separada para Display (caso queira trabalhar com ela).

#6 Não entender a mecânica o Google AdWords

Muitos ouvem dizer que o Google AdWords é um leilão. O que a maioria dos anunciantes que estão iniciando não entendem é que ele não é um leilão como aqueles que vemos em filmes, onde quem se dá bem é sempre quem paga mais.

Precisamos entender o seguinte: o Google criou todo um “ecossistema” onde todos devem sair ganhando. Quem faz parte desse “todos”? São 3 as partes: o Google, o anunciante e o usuário (pessoa que está usando o Google para encontrar algo).

Para que seu sistema de publicidade fosse um sucesso (e é), ele deveria satisfazer as necessidades de cada uma dessas partes. Dessa maneira:

  1. O anunciante deveria conseguir atingir de maneira eficaz o seu público por um preço justo
  2. O usuário deveria encontrar aquilo que ele busca utilizando o Google
  3. O Google deveria ganhar dinheiro com tudo isso

Se o leilão do Google favorecesse apenas quem paga mais, teríamos um monte de anúncios sem relevância (de empresas com muita verba) aparecendo para qualquer busca que fizéssemos. Com o tempo as pessoas passariam a utilizar menos o Google, uma vez que os resultados exibidos não seriam tão relevantes.

A grande chave do sucesso aqui é a relevância. O Google facilita a vida dos bons anunciantes, permitindo que eles paguem menos no clique e apareçam melhor posicionados.

Para entender melhor o funcionamento veja a palestra abaixo ou, se tiver a oportunidade, participe do Curso de Google Adwords aqui na Mirago.

 

#7 Não testar: palavras-chave, anúncios e landing pages

É comum encontrar pessoas que não tem o hábito de testar elementos da conta AdWords. Essas pessoas geralmente criam a estrutura da conta e deixam ela exatamente da mesma forma por meses (até anos). Isso não significa que você deve ficar trocando palavras, landings, lances, configurações e etc a cada hora. Alterar muitas coisas com alta frequência também pode ser ruim, visto que alterações rápidas não nos permitem análises sólidas.

De tempos em tempos (essa frequência pode variar de acordo com o segmento), é importante que você otimize sua conta melhorando a seleção de palavras-chave:

  • testando correspondências
  • negativando palavras
  • ajustando lances
  • incluindo mais palavras
  • criando mais grupos de anúncios (mais específicos)

Para melhorar seus anúncios, você pode:

  • pausar anúncios com baixa performance
  • criar mais anúncios
  • rotacionar anúncios uniformemente durante um período e avaliar o desempenho

Para suas landing pages:

  • realizar testes A/B em suas landing pages
  • experimentar a utilização de vídeos

 

#8 Errar na hora de escolher a correspondência de palavras-chave

Um dos maiores erros dos iniciantes no Google AdWords é não entender a diferença entre as corrrespondências de palavra-chave (às vezes nem saber que elas existem). Na palestra abaixo você consegue entender de fato como funcionam as correspondências.

Espero que essas dicas tenham lhe ajudado. Além de oferecermos diversos cursos presenciais, cursos online e palestras gratuitas, você também pode conferir nossa área de tutoriais.