Você sabe por que o Inbound Marketing cresceu tanto nos últimos anos? Será que só dá pra realizar estratégias de Marketing Digital se utilizar o Inbound? Como o Inbound realmente funciona? Se você tem todas essas dúvidas, não se preocupe! Elas serão respondidas nesta aula. 

O Inbound Marketing é uma das principais estratégias de Marketing Digital. Para quem deseja ter uma comunicação de marca eficiente e moderna, conhecer esse método é de grande importância!

Para ajudar, neste artigo, você encontra um guia de aprendizado sobre Marketing Inbound. Se você tiver alguma dúvida sobre o assunto, esperamos que ela seja respondida aqui. Caso contrário, pode entrar em contato conosco, que vamos te solucionar todos os seus questionamentos. 

Sem mais delongas, vamos lá?

Reproduzir vídeo
4.9
4.9/5

(1503 avaliações)

Um Curso de Marketing Digital Grátis para Iniciantes que querem começar na Frente. Junte-se a Milhares de Alunos e Comece a estudar hoje mesmo. Inscreva-se!

O que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing, em tradução, quer dizer Marketing de atração, ou seja, ele está relacionado a um conjunto de práticas que visa atrair desconhecidos com o objetivo de torná-los clientes através de conteúdos que façam diferença para esse público.

Enquanto no marketing tradicional a empresa vai atrás de clientes de forma ativa, no Inbound o foco é criar canais para que as pessoas encontrem a empresa de forma natural e se aproximem dela.

A estratégia mais comum para isso é entregar conteúdo de valor para esse lead. Isso significa apresentar soluções para problemas que o potencial cliente pode ter. Então quando a pessoa procura na internet pela solução do problema, acaba encontrando pelo canal de comunicação da marca, sendo o principal objetivo criar um relacionamento duradouro e, posteriormente, torná-lo cliente da empresa. 

Esse relacionamento com cliente é criado por meio dos interesses e perfil desse público, onde a empresa cria a uma representação do cliente ideal, chamada de persona, a fim de compreender seus desejos e necessidades para atrair esse público, com conteúdos relevantes. 

O conteúdo oferecido como base para atração visa educar essa audiência sobre o segmento da sua empresa, seguindo para o descobrimento da sua oferta, até chegar no momento de decisão. Todo esse caminho a ser seguido é chamado de jornada de compra, que falaremos ao longo deste artigo. 

No que se baseia a metodologia Inbound Marketing?

O Marketing Inbound surgiu de um conceito criado por Seth Godin em seu livro Permission Marketing, de 1999. Foram das ideias criadas por ele que começaram a se delimitar as ideias de uma comunicação menos unilateral e mais aberta.

Isso porque o Marketing tradicional se baseia na interrupção do cliente através de propagandas de TV, banners e outras formas de comunicação. Enquanto isso, o Inbound prefere estar presente no momento em que o possível cliente está precisando de ajuda e oferecer conteúdo útil.

Sendo assim, a primeira base da metodologia adotada pelo Inbound Marketing é apresentar conteúdos relevantes no momento em que potenciais clientes estejam buscando por ela. Em geral, isso é organizado de uma forma que satisfaça as exigências do Google, já que ele domina o mercado de buscas no Brasil.

Por isso, é cada vez mais importante estar na primeira página dos mecanismos de busca. Seria a mesma situação que ter a sua vitrine na avenida mais movimentada da cidade: mais clientes passando por você garantem mais possibilidades de negócio.

Entendendo sobre a jornada de compra

O processo por trás do Marketing Inbound é relacionado com a chamada jornada de compra. Ele se organiza assim:

  • Aprendizado e Descoberta;
  • Reconhecimento do problema;
  • Consideração da solução;
  • Decisão de compra.
jornada de compra

Vamos entender sobre cada uma das etapas a seguir:

Aprendizado e Descoberta

Esta é a primeira etapa da jornada de compra do consumidor, onde ele ainda não sabe que possui um problema e que ele precisa ser solucionado. 

Neste caso, é importante atingir o potencial cliente com conteúdos que despertem o interesse sobre esse assunto, fazendo com que ele goste e queira saber mais. 

É nesta hora, que você começa a direcionar os textos de blog ou e-mails “cutucando” aquele lead, deixando claro que ele possui um problema e que os conteúdos poderão ajudar por um certo momento. 

Exemplos de conteúdos para a etapa de reconhecimento e descoberta:

  • o que é Marketing Digital?
  • X dicas para utilizar o Marketing Digital no seu negócio;
  • X métodos de fazer com que sua campanha de Marketing Digital tenha sucesso. 

Com esse direcionamento, você poderá transmitir um conteúdo de valor para o público, fazendo com que ele identifique e descubra que existe um problema. 

Reconhecimento do problema

A segunda etapa da jornada de compra do consumidor é o reconhecimento do problema, que diz respeito ao momento em que ele começa a entender que possui um problema e que tem algo que o incomoda, seja de qualquer natureza. 

Porém, mesmo que ele saiba que existe um problema, ele não sabe ao certo o que está causando isso. É neste caso, que entram os conteúdos mais ricos, ou seja, que contém informações mais detalhadas e aprofundadas naquele tema, para mostrar que aquela pessoa realmente tem um problema. 

Os conteúdos em vídeos são ideais para esta etapa, onde você poderá tirar algumas dúvidas e constatar a existência daquele “dificuldade” de encontrar soluções. 

Além disso, os e-books e infográficos também são uma excelente oportunidade de obter dados valiosos sobre esses possíveis clientes, onde eles terão que responder um formulário para adquirir o material. 

Consideração da solução

Após o reconhecimento do problema, o potencial cliente começa a procurar pelas marcas que podem ter uma solução para a situação que está vivendo. Porém, ele ainda não está pronto para realizar a compra.

Chegou o momento de nutrir os leads com conteúdos capazes de fazer com que eles entendam sobre o seu problema e conheçam as vantagens de escolher a sua empresa para solucioná-lo. 

Para colocar essa ação em prática, o e-mail marketing é a melhor solução para prender a atenção do público e fazer com que eles conheçam de maneira conveniente os seus produtos e serviços. 

Inclusive, utilizar o e-mail marketing como estratégia de conversão, é uma maneira de demonstrar autoridade, onde a sua empresa tem total conhecimento sobre aquele assunto e possui autonomia para solucionar o seu problema, por meio do seu produto. 

Decisão de compra

É na última etapa da jornada do consumidor que o seu público já está pronto para adquirir o que a sua marca tem para oferecer. Ou seja, é aqui que acontece a decisão de compra, onde o cliente define a empresa que irá escolher para solucionar o seu problema. 

Sendo assim, o lead está pronto para comprar, por isso, é fundamental que você tenha provas sociais de que o seu produto ou serviço seja realmente eficiente e vantajoso para o cliente. Neste caso, o ideal é investir na divulgação de depoimentos de pessoas que já compraram da sua empresa e além de gostarem, estão indicando para outros clientes. 

Essa divulgação de depoimentos pode ser feita por meio do e-mail marketing também com CTA bem chamativos para a compra. Além disso, uma boa alternativa são as postagens nas mídias sociais, que comprovem que o cliente realmente gostou do seu produto. 

Entendendo o funil de Marketing

O Inbound Marketing trabalha convertendo a pessoa interessada em um lead, uma pessoa que é alimentada por conteúdo da empresa até que ela esteja pronta para se tornar efetivamente um cliente.

A melhor forma de visualizar esse material é enxergando como um funil, onde você trabalha com os estágios de compras de cada perfil de público, a fim de atingir com mais assertividade as suas necessidades e desejos, aumentando ainda mais as chances de conversão. 

Funil de Marketing
Funil de Marketing

Diante disso, no topo do funil de Marketing, temos a entrada de pessoas interessadas, mas que ainda estão no estágio de aprendizado e descoberta. Aqui, o ideal é estabelecer uma confiança e responder às dúvidas frequentes.

Os estágios de reconhecimento e consideração estão ligados ao meio do funil. Primeiro, no reconhecimento, o cliente se torna um lead. Ao ser alimentado com conteúdo relevante, esse lead progride no processo e começa a cogitar a compra, sendo a etapa de consideração.

Por fim, o fundo do funil é composto por materiais que buscam convencer o lead, já alimentado, a comprar. Esse é o estágio do processo em que a marca demonstra mais abertamente seus produtos e serviços para o lead. No passo seguinte, o contato desse lead será repassado para o setor de vendas para conclusão do processo.

Quais são as vantagens do Inbound Marketing?

O Inbound Marketing tem inúmeras vantagens para os negócios. A principal delas é se relacionar pensando diretamente na maneira em que o consumidor pensa atualmente. Isso porque, quando o comprador chega ao seu time de vendas, em geral ele já pesquisou sobre a empresa em diversas plataformas.

Para isso, é muito importante que a sua empresa tenha uma presença ativa nas plataformas onde as pesquisas são mais comuns, como:

  • Google;
  • Facebook;
  • Instagram;
  • YouTube;
  • Reclame Aqui;
  • Site próprio.

O primeiro passo para entender como oferecer bem seus produtos nessas redes é entender que a oferta do produto é o estágio final. Por isso, é preciso evitar que todos os conteúdos ofereçam o produto constantemente.

Como dissemos anteriormente, o comprador deseja ter seu momento da jornada de compra respeitado. Além disso, deseja obter informações para se qualificar antes de tomar a decisão. Dessa forma ele ganha mais segurança para fechar.

Diante dessas informações, conheça outras grandes vantagens de investir em estratégia de Inbound Marketing para criar um relacionamento com o possível cliente, aumentando as possibilidades de compra. Veja:

Produzir conteúdos para atrair consumidores

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia que está em constante crescimento nos dias de hoje. É por meio das suas ações que muitos leads qualificados se tornam consumidores, pois consumiram conteúdos extremamente relevantes naquele momento. 

Em razão disso, o Inbound Marketing é conhecido por investir nesses conteúdos para atrair os consumidores, com o objetivo de fazer com que aquele cliente percorra a jornada do consumidor e o funil de Marketing até a decisão de compra, ou seja, o fundo do funil. 

Criar conteúdos relevantes para os consumidores é de extrema importância para passar segurança e confiabilidade para quem está lendo. Além disso, como dito anteriormente, ele cria autoridade para a marca, transmitindo para os leitores o que você entende realmente daquele assunto. 

Inclusive, a produção de conteúdos é importante não só para aumentar o número de conversão, mas também para tornar o relacionamento mais próximo, duradouro e engajado com o cliente. 

Mensurar os resultados de forma mais assertiva

Diferente do Marketing convencional, no Inbound é possível mensurar os resultados de forma mais assertiva. Isso porque existem ferramentas capazes de analisar e medir a performance dos anúncios, aberturas de e-mails, textos de blog, entendendo o comportamento do consumidor em cada etapa, além das taxas de conversões dentro do funil de vendas. 

O Google Analytics, também conhecido como GA, é a principal ferramenta para o acompanhamento das métricas e entendimento dos indicadores, usados por pequenas e grandes empresas. 

Com essa ferramenta, você consegue ver em tempo real os resultados das suas campanhas, podendo verificar os pontos de melhorias e as ações que mais estão trazendo resultados para a marca. 

Otimização com gastos em comunicação

Outra grande vantagem do Inbound Marketing é que ele também costuma ter gastos que escalam menos do que outras modalidades de comunicação. Entretanto, isso não quer dizer que eles não existam, mas tendem a ser significativamente menores do que no Marketing tradicional, por exemplo. 

Em uma pesquisa realizada pela Hubspot, os leads vindos de estratégias de Inbound Marketing, custam 61% a menos do que um cliente de Outbound Marketing. Com isso, é possível que você economize no seu orçamento, direcionando a verba para ações que tragam mais resultados para a sua campanha e um melhor custo-benefício. 

Possibilidade de segmentação de público

Uma das formas mais efetivas de utilizar o Inbound Marketing na sua estratégia é criando uma boa segmentação de público. 

Com a internet e suas várias possibilidades de ferramentas e estratégias é possível ser bastante efetivo numa segmentação que alinhe o seu público ideal de acordo com as soluções que seu negócio oferece.

Por isso, se você ainda não realizou a segmentação do público para criar os conteúdos, e-mails e anúncios, está na hora de repensar as suas ações. Fazer essa segmentação, poderá ajudar na captação de leads mais qualificados e que realmente tenham interesse no que você oferece. 

Além disso, segmentando todas as características do seu público ideal, você poderá criar uma buyer persona, a representação do personagem que mais se identifica com a sua empresa e que chega mais perto do cliente certo para a sua marca. 

Principais terminologias do método Inbound Marketing

O Inbound Marketing é recheado de termos e conceitos, que parecem, mas não são complicados de entender. Por isso, para te ajudar a entender melhor o que cada um deles representa, veja a seguir: 

Leads

Os leads são pessoas que já demonstraram interesse pela marca e estão em processo para alcançar a decisão de compra. É um cliente em potencial.

Material rico

O material rico é um tipo de conteúdo que pode ser oferecido aos leads. A intenção principal desse tipo de material é gerar um cadastro do cliente. Esse cadastro, feito, geralmente, numa página de captura (landing page), ajuda a qualificar o lead e direcionar melhor a sua nutrição.

Landing Page

A landing page é uma página específica voltada à conversão. Nela o lead realiza um cadastro rápido e curto com algumas informações. Isso ajuda a qualificar o potencial cliente, permitindo que você tenha mais informações sobre ele. Também é a melhor forma de obter uma lista de e-mails própria.

E-mail Marketing

O e-mail marketing consiste na utilização do e-mail para auxiliar no relacionamento e nas vendas. Faz parte do processo do Funil de Vendas. É também uma excelente maneira de manter os leads alimentados.

Funil de vendas

O funil de vendas é o processo pelo qual o potencial cliente irá passar entre o conhecimento da sua empresa e a decisão de compra. É dividido em Topo, Meio e Fundo. Cada uma dessas etapas exige um tipo de tratamento diferente.

Call To Action

O Call To Action, também conhecido como CTA e chamada para ação, é o uso de frases com verbos que direcionam o potencial cliente a realizar uma ação. Existem várias possibilidades, como “clique”, “leia”, “acompanhe”, etc. A intenção é sempre direcionar alguma ação desejada, geralmente ligada ao consumo de conteúdo.

Conversão

A palavra conversão faz referência à conclusão do processo, quando o cliente compra. Por isso, o termo “taxa de conversão” quer dizer qual porcentagem das pessoas que entram em contato com seu material estão efetivamente comprando de você. Além disso, podemos usar a conversão também para outras etapas, como a conversão de visitantes em leads ou taxa de conversão por materiais ricos, e-mails, etc.

Nutrição

O processo de nutrição está relacionado com a entrega de conteúdo para as pessoas. A intenção aqui é manter o lead sempre consciente da sua existência. Isso deve acontecer de forma menos invasiva e com o máximo de relevância no material enviado. 

Pode acontecer através de blog, posts, e-mail marketing, material rico e outros tipos de publicação direcionada ao perfil do lead.

Qualificação

É o ato de conseguir informações sobre o lead. Entre os possíveis dados obtidos estão nome, e-mail, idade, profissão, cargo, entre outros. O processo de qualificação busca, ao mesmo tempo, gerar mais dados para melhorar o marketing e criar uma “ficha” para facilitar o trabalho do setor de vendas.

Automação

O processo de automação geralmente envolve uma ferramenta (software) que seja capaz de realizar toda a execução da estratégia de Inbound Marketing, já que seria inviável fazê-la de forma manual para grandes quantidades de leads. O objetivo é criar, com a ajuda de ferramentas de automação, uma “máquina” que seja capaz de gerar leads, se relacionar com eles por meio de conteúdo de valor e guiá-los até a conversão em vendas.

Conteúdo

O conteúdo é tudo que é criado com informações relevantes. Portanto, é através do conteúdo que o lead é alimentado e encaminhado pelo funil de marketing. Existem muitos tipos de conteúdo e cada um é mais adequado para um estágio da Jornada de Compra.

Chamamos de Marketing de Conteúdo o conjunto de técnicas relacionadas à produção de conteúdo para o marketing.

Recursos do Inbound Marketing

Para que as ações de Inbound Marketing sejam efetivas, é fundamental utilizar as ferramentas que essa estratégia pode te proporcionar, juntamente com as vantagens e recursos que as mesmas possuem, para aumentar os resultados das campanhas. 

Conheça os principais recursos e suas características a seguir:

Conteúdo

O conteúdo é o primeiro passo da metodologia Inbound Marketing. É através da publicação de material com informações relevantes que as pessoas irão ter mais conhecimento da sua marca e irão começar sua jornada pelo funil de marketing.

Como já comentado anteriormente, o conteúdo de topo de funil precisa ser um material menos institucional, relacionado a dúvidas comuns e com grande procura. Assim, as pessoas com algum interesse pelo setor em que você vende irão tomar consciência da sua existência no mercado.

Em um segundo estágio, o chamado meio de funil, é hora de oferecer material que ajuda o cliente a se sentir mais seguro ao tomar uma decisão. Esse material pode conter Call to Action para que o lead realize o download de material rico.

Já o de fundo de funil, é o momento de compra do consumidor, onde ele já precisa conhecer os produtos e serviços oferecidos pela sua empresa. Nessa fase, o conteúdo costuma trazer depoimentos e estudos de caso de clientes satisfeitos com a marca. 

Nutrição

A nutrição é realizada através de conteúdo, mas não envolve apenas uma produção indiscriminada de material. Isso significa, em geral, fazer um conteúdo mais rico e complexo que prenda a atenção do seu público.

A importância da nutrição é manter o lead conectado à marca. Dessa forma, quando ele chegar ao estágio de decisão de compra, se lembrará imediatamente dela.

Entretanto, é preciso muito cuidado para não se tornar incoveniente. Isso porque um conteúdo vazio ou uma insistência na divulgação de um certo material para o lead, vão completamente contra a filosofia do Inbound. É preciso se manter relevante e interessante.

Qualificação

O processo de qualificação é muito importante para auxiliar a equipe de vendas. Afinal de contas, eles precisam de informações sobre o potencial cliente para o contato e o fechamento do processo.

Quando o marketing falha em entregar leads qualificados para o comercial, todo o negócio sai perdendo. Esse procedimento vai além da simples captação de informações. Ele envolve também conseguir focar o conteúdo de maneira a atrair pessoas que estão dentro das personas que costumam comprar o produto final.

Por isso, podemos dizer que a qualificação é o processo de obtenção de informações e dados que irão contribuir com maior conhecimento dos potenciais clientes, facilitando o trabalho de vendas.

Para isso, pode ser usado uma um software de CRM que concentra todas as informações relevantes do seu público em um único lugar. Além disso, ele identifica em qual nível do funil de vendas ele se encontra.

Landing Pages

As landing pages, ou páginas de conversão, são ferramentas que servem como aliadas para promover conteúdos ricos, mais elaborados, como e-books, webinars e cursos online.

Por meio da landing page você converte um visitante em um lead, ou seja, um cliente em potencial, que está interessado no conteúdo que você publica e pode vir a ter interesse nas soluções que sua empresa comercializa.

Inclusive, através da landing page, você também poderá obter os dados de extrema relevância para o seu negócio, a fim de segmentar ainda mais as campanhas e entregar conteúdos mais assertivos e direcionados para o perfil do público. 

Blog

O blog é a base central do inbound marketing,  pois é ele que concentra toda a estratégia de conteúdo da sua empresa.

Ao criar um blog você compartilha artigos, pesquisas, infográficos, whitepapers, cases de sucesso, entre outros conteúdos que chamam a atenção dos usuários e fazem com que eles cheguem até a sua empresa na internet.

Sendo uma das principais ferramentas do Inbound Marketing, o blog proporciona diversas vantagens ao seu utilizado, como:

  • valorização dos conteúdos para o ranking do Google (SEO);
  • torna a sua empresa referência nos assuntos abordados (autoridade);
  • auxilia no aumento das conversões;
  • faz com que o público conheça mais profundamente os produtos e serviços oferecidos. 

Redes sociais

Por fim, mas não menos importante, as redes sociais são fundamentais para as estratégias de Inbound Marketing. Por ser um método que preza em alcançar diferentes canais de comunicação e entregar o seu conteúdo onde o seu público esteja presente. 

Além disso, hoje em dia, o uso das mídias sociais está crescendo cada vez mais, tornando- se o local onde os consumidores mais entram em contato com empresas. 

Por isso, se a sua marca ainda não está ativa nas redes sociais, chegou o momento de investir nesses canais e aumentar o alcance e visibilidade da sua empresa. Como sugestão, nosso Curso de Mídias Sociais pode te ajudar a posicionar sua marca nesse ambiente para ter muito mais resultados.

Objetivos e etapas do processo de Inbound Marketing

Os objetivos do Inbound Marketing variam de acordo com o momento. É importante entender que se trata de um processo. Isso significa que a cada passo concluído, um novo objetivo surge. Então, fique sempre consciente que não existe uma conclusão definitiva do processo.

Conheça as etapas do processo de Inbound Marketing e como funciona cada uma delas:

etapas do inbound marketing

Atrair

O primeiro passo é atrair. Isso significa colocar o seu conteúdo nas primeiras páginas de pesquisa dos mecanismos de busca, realizar a divulgação em mídias sociais, disponibilizar os materiais por e-mail são o ponto de partida.

Também envolve produzir conteúdo com uma taxa alta de compartilhamento, aumentando o seu alcance. Por fim, é importante entender o valor do impulsionamento nas redes sociais para cumprir esse objetivo (distribuição de conteúdo).

Na fase de atração, o comprador passa de desconhecido para visitante. Os conceitos chave para esse objetivo são o SEO, blog, posts e redes sociais.

Converter

O próximo objetivo é converter os visitantes em leads. Aqueles que chegaram ao seus canais através do conteúdo usado para atrair agora passam a ser mais regulares e conhecidos.

Esse objetivo pode ser cumprido de diversas maneiras. A mais comum é através de Call to Actions (CTAs) que fazem os visitantes continuarem a consumir conteúdo até que ele seja cativado.

Enquanto na primeira fase o conteúdo é um pouco mais leve, aqui já começamos a nos aproximar do consumidor. Por isso, conseguimos utilizar ferramentas como o e-mail marketing e os materiais ricos. É durante essa fase que ocorre a alimentação do lead.

A fase de conversão transforma os visitantes em leads e os mantém conectados ao negócio. Seus conceitos chave são o e-mail marketing, os materiais ricos e as CTAs.

Fechar

Enfim, acontece o momento de transformar o lead em um comprador de fato. Para que isso ocorra na hora certa, é preciso que os objetivos anteriores tenham sido cumpridos.

Em geral, o processo de vendas acontece através de uma equipe especializada. Entretanto, em alguns negócios, como os e-commerces e outros menos diretos, o próprio processo de marketing pode cumprir essa função.

Para isso, é preciso qualificar os leads e identificar quais estão prontos para a decisão de compra. O processo de obtenção de informações para qualificação acontece tanto na etapa de conversão quanto na de fechamento.

Na fase de fechamento, transformamos os leads em compradores. Os conceitos chave são e-mails direcionados, reuniões, ligações e postagens sobre o produto.

Encantar

Se você acha que o processo do Marketing Inbound acaba no momento da venda, está enganado. Ao invés de abandonar o cliente que já realizou uma compra, o melhor a se fazer é sempre transformar o seu comprador em um promotor.

O promotor é aquele cliente que gosta tanto do seu produto e da sua empresa que passa a fazer parte do seu processo de atração, contando para os outros sobre as qualidades. Para alcançar essa transformação, é importante ter a filosofia certa dentro da empresa.

Essa filosofia correta quer dizer que você deve se importar com o cliente depois da compra. Continue a enviar newsletters, envie materiais que ajudem no uso do seu produto e  mantenha o canal de comunicação aberto ao pedir um feedback sobre o produto. Isso fará com que o comprador se encante pelo seu processo e pela sua empresa.

Outra vantagem de encantar um cliente é que ele se torna um comprador fiel. Caso ele precise novamente de um produto que você possui, as chances de um retorno são grandes.

Na fase de encantamento, você transforma o comprador em promotor. Os conceitos chave para isso são o sucesso do cliente, conteúdos relevantes, canais de comunicação aberto e newsletters.

Uma boa prática nesta fase é mensurar a satisfação dos clientes e a NPS (Net Promoter Score) pode ser uma grande aliada. Trata-se de uma métrica que mede, numa escala de -100 a 100, qual o grau de satisfação dos clientes com sua solução.

Analisar

Esta é uma etapa fundamental e que não deve ser negligenciada. Afinal, a partir da análise de dados de suas estratégias e do que tem dado certo (ou não), é que você vai melhorando o processo.

Isso precisa acontecer de maneira objetiva. Não adianta você ter um achismo sobre o que está dando certo ou errado para a empresa. Você precisa ter dados para embasar suas decisões.

Além de simplesmente observar seus resultados, você pode realizar os chamados testes A/B. Através deles, você pode encontrar o caminho mais eficiente para o seu processo.

A análise não é um objetivo com uma fase própria, mas um que faz parte de todas as etapas. Seus conceitos chave são métricas, KPIs, resultados e testes.

Mercado do Inbound Marketing

O Inbound Marketing é uma estratégia que pode ser usada em diferentes segmentos e modalidades de empresas, a fim de melhorar os resultados, aumentando as vendas e o bom relacionamento com os clientes. 

Bem, e será que o Inbound Marketing só pode ser utilizado por grandes empresas? Esse pode ser um questionamento por conta dos recursos financeiros para o investimento em mídias, conteúdo e ferramentas. 

A boa notícia é que as estratégias de Inbound Marketing podem ser utilizadas por empresas de qualquer porte, principalmente os pequenos negócios que precisam de mais visibilidade e faturamento para conseguir arcar com os seus custos no final do mês. 

Por isso, veja a seguir todos os tipos de empresas que podem investir em estratégias de Inbound Marketing:

  • agências digitais;
  • empresas de serviços em geral;
  • startups;
  • e-commerces;
  • empresas júnior. 

Montando uma equipe de Inbound Marketing — Profissionais envolvidos nos processos

Quando se pensa em trabalhar em uma agência ou ter uma equipe interna de Inbound Marketing em qualquer tipo de empresa, você precisa conhecer os profissionais e seus papéis em cada etapa do processo.

Profissionais envolvidos com Inbound Marketing

Abaixo, você encontra uma descrição detalhada das funções e de como melhor aplicar cada um dos profissionais.

Redator

O redator é o responsável pela execução dos textos dentro do processo de Inbound Marketing. Esse profissional é que ficará com a missão de escrever os blog posts, textos de e-mail marketing, e-books para material rico e muitas vezes também a redação das redes sociais.

Designer

O texto, puro, não vai atrair tanto a  atenção do público. Cabe ao designer transformar os conceitos em imagens que atraem o público para consumir o que foi escrito.

Além disso, o designer fica responsável por uma série de objetivos dentro da sua comunicação visual, como a criação de infográficos para material rico, concepção de uma linguagem visual, entre outras tarefas.

Community Manager

O Community Manager, muitas vezes chamado também de Social Media, é o principal responsável pelo canal de comunicação em redes sociais. Ele cuida para que os textos sejam divulgados no melhor momento e alcancem o maior número de pessoas.

Não é incomum que o designer e o redator acumulem essas funções, principalmente em empresas de menor porte. Entretanto, se a sua empresa for de porte maior, é importante ter um profissional especializado.

Growth Hacker

O profissional de Growth, apesar de não lidar exclusivamente com o Inbound Marketing, pode atuar nesta área buscando otimizações para crescimento da estratégia. Ele(a) lida com os resultados e as métricas para dar um feedback para os produtores de conteúdo de como as coisas tem se saído e de oportunidades de melhoria ou correções de rota.

Assim como o Community Manager, este profissional geralmente atua em empresas de porte um pouco maior ou mesmo em empresas pequenas, mas bem capitalizadas, como é o caso de algumas startups em seu início.

Entretanto, com a concepção de conceitos cada vez mais complexos dentro do Inbound Marketing, a grande variedade de canais, o Growth Hacker pode ajudar a alavancar os resultados da estratégia.

Videomaker

Como trabalhar nas redes sociais atuais sem vídeos? O Facebook, Instagram e TikTok mostram que esse tipo de conteúdo é cada vez mais consumido e o YouTube continua a crescer em relevância. Por isso, é preciso ter um profissional focado no assunto.

O Videomaker é para o vídeo assim como o Redator é para o conteúdo escrito. Ele se especializa na produção audiovisual curta para a etapa de atração e na de Webinars para o material rico.

Por ser um tipo de conteúdo de produção que demanda tempo, é crucial que o Videomaker seja um profissional especializado.

Estrategista/Analista

Com tantos especialistas, é preciso que alguém na equipe tenha uma visão mais abrangente. Esse é o papel dos estrategistas e analistas de Inbound Marketing. Eles fazem a ponte entre cada setor e pensam no processo completo.

O estrategista cumpre esse papel numa equipe maior e completa, conduzindo mais e colocando um pouco menos a mão na massa. O analista, em geral, costuma ser mais prático e completar buracos que o resto da equipe não consegue preencher.

Não é incomum que empresas de pequeno porte contratem apenas um ou dois analistas para se responsabilizar por todas as etapas do Inbound Marketing. Isso pode funcionar, mas tenha em mente que isso depende da demanda de trabalho. 

Por isso, também é importante não esquecer que os especialistas são melhores em cumprir seus trabalhos individualmente.

Livros sobre Inbound Marketing para você se inspirar!

Agora que você já sabe como funciona a estratégia de Inbound Marketing, as suas etapas, processos e particularidades, é importante que você não pare de adquirir mais conhecimentos sobre o assunto. 

Afinal, aprendizado nunca é demais, não é mesmo? Apesar de cursos e artigos serem de extrema importância, ter bons livros na sua cabeceira para consultar todas as vezes que tiver alguma dúvida, pode ser uma excelente opção para se tornar um expert neste assunto. 

Veja a seguir uma lista de livros sobre Inbound Marketing para você se inspirar:

  1. Regras de Conteúdo – Ann Handley e C. C. Chapman;
  2. Máquina de Aquisição de Clientes – André Siqueira
  3. Inbound Marketing: Seja encontrado usando o Google, a Mídia Social e os Blogs – Brian Halligan e Dharmesh Shah;
  4. Marketing de Permissão, de Seth Godin;
  5. Master Content Marketing – Pamela Wilson
  6. Dotcom Secrets – Russell Brunson

Próximos passos

Agora que você começou a entender sobre o Inbound Marketing, precisa se aprofundar sobre o assunto. Nosso Curso de Inbound Marketing pode te ajudar com os primeiros passos.

Além disso, é interessante conhecer ferramentas de E-mail Marketing, já que este canal de comunicação é tão importante para o Inbound.

Ludy Amano

Fundador da Mirago, atuou como consultor de marketing digital por muitos anos. Formado em comunicação social pela ESPM, já ministrou aulas em instituições como BSP, Trevisan Escola de Negócios e Escola São Paulo. Atualmente se dedica a inovação na educação do mercado digital.