Quer descobrir alguns dos principais mitos de marketing digital? Neste mercado, como basicamente em qualquer outro, existem algumas afirmações ditas por parte dos profissionais que não são verdades, apesar de, muitas vezes, parecerem ser.

Neste artigo trouxemos 5 mitos de marketing digital comuns que você deve evitar cair. Vamos a eles?

Mito de Marketing Digital 1: Mais tráfego = Mais vendas

Seu objetivo é gerar mais leads e vender mais? Ótimo, então tudo o que você precisa fazer é obter mais tráfego para seu site, certo? Com mais tráfego (não importa se seja tráfego pago ou orgânico), você terá mais leads para o seu time comercial trabalhar. Ou, se o seu negócio for um e-commerce, basta gerar mais tráfego para vender mais na loja.

Será mesmo?

Não necessariamente. Nem toda a aquisição de tráfego tem a mesma origem e qualidade, ou seja, para que o tráfego seja valioso, ele precisa ser convertido em leads e vendas.

E para que isso aconteça pode ser necessário uma série de outras competências e atividades no marketing digital que envolva: planejamento da oferta, CRO (Conversion Rate Optimization – ou Otimização da Taxa de Conversão), copywriting, design, funil de relacionamento, etc.

Portanto, nem sempre gerar mais tráfego é sinônimo de mais vendas. Entender isso é importante para evitar cair neste primeiro mito do marketing digital.

Mito 2: O e-mail marketing morreu

Esse é clássico. É impressionante, mas todo ano “matam” o coitado do e-mail marketing. Já li em artigos e posts espalhados por aí ao longo dos últimos anos que o e-mail marketing deixaria de funcionar por várias razões, incluindo a adoção de aplicativos de mensagens instantâneas como whatsapp e telegram.

mito de marketing digital: a morte do e-mail marketing

Ok, é possível que as taxas médias de abertura de e-mails de vários mercados possam ter caído ao longo dos últimos 10 ou 15 anos. No entanto, dizer que este tipo de canal “morreu” é um grande exagero. Se não acredita, pergunte para um profissional de e-commerce se e-mail marketing funciona ou não. Funciona (e muito!). Não apenas para e-commerce, mas para a maioria dos setores.

É importante trabalhar com as boas práticas do e-mail marketing, como:

  • enviar apenas e-mails para quem se cadastrou no seu mailing (básico, mas infelizmente ainda lidamos muito com SPAM);
  • usar boas ferramentas de e-mail marketing e configurá-las corretamente;
  • criar uma boa segmentação (enviar e-mails e conteúdos relevantes para as pessoas certas, no momento certo);
  • analisar relatórios e traçar estratégias de melhoria de taxas de abertura e cliques;
  • utilizar testes A/B para melhorar a performance dos e-mails;

Todas estas boas práticas (e outras) ajudarão a tornar este canal algo relevante para seu negócio. O que ocorre na maioria das vezes é que os profissionais não respeitam ou seguem estas boas práticas e os resultados acabam sendo muito ruins. Quer ver mais dicas de e-mail marketing e suas boas práticas? Então veja este vídeo:

Outra vantagem da utilização do e-mail marketing é que a lista (sua audiência) é sua, diferente das mídias sociais, onde o “terreno é alugado”. Esta é outro ponto importante a considerar.

Mito 3: Contrate esta(s) ferramenta(s) que você começará a ter resultados

Ter boas ferramentas que auxiliem e suportem a atividade de marketing digital é essencial, no entanto, o problema passa a ser quando olhamos exclusivamente para elas e isso pode ser um problema.

É sempre importante lembrar: Ferramenta é meio, não fim. As melhores ferramentas, sem bons objetivos, processos bem definidos e equipe qualificada não resolvem muita coisa.

Antes de partir para as ferramentas que podem te auxiliar é preciso responder algumas perguntas:

  • Onde você deseja chegar? Quais são os objetivos a atingir?
  • Qual o momento da empresa? 
  • Que tipo de problema estou lidando? 
  • Quais são as prioridades a resolver?
  • Qual conjunto de ferramentas resolve este problema de acordo com minha necessidade? 

Não se apaixone por ferramentas de marketing digital. Foque no problema ou solução que você precisa resolver ou alcançar e só depois disso saia à procura de ferramentas que poderão te auxiliar nesta missão.

Mito de Marketing Digital 4: “Finalizei o trabalho de SEO no meu site”

Se você já fez nosso Curso de SEO Gratuito, sabe da importância de um trabalho de SEO bem feito e os resultados que a empresa pode colher com esta estratégia no longo prazo. Não importa se você ou seu time é quem irá executar o trabalho ou um parceiro (uma agência ou freelancer, por exemplo): o fato é que SEO é um projeto de longo prazo.

Dito isso, é um mito que SEO só se faz uma vez ou durante algum tempo. SEO é um processo de otimização contínuo, coisa que muitos profissionais e empresários infelizmente não entendem. Não é incomum ver donos de empresas ou mesmo profissionais de marketing se preocupando com SEO somente ao criar ou refazer seu site ou mesmo por algum período de tempo (ex. “vamos fazer SEO por 12 meses”).

Se você deseja resultados na busca orgânica do Google de verdade é preciso deixar este mito para trás.

Mito 5: Remarketing é chato e incomoda as pessoas

A estratégia de remarketing consiste, de forma resumida, atingir e impactar com anúncios uma pessoa que já teve algum contato prévio com sua empresa. É bem provável que você já tenha visto isso ao navegar pela internet.

É comum nos cursos e imersões da Mirago alguns alunos tocarem neste assunto. Algumas frases são comuns, como:

  • “Nossa, não suporto aqueles anúncios que perseguem a gente o tempo todo.”
  • “Semana passada procurei por uma viagem e não paro de receber anúncios de lá para cá sobre isso.”
  • “Fiquei com raiva da empresa XYZ por tanto me perseguirem com anúncios”

Tudo isso poderia fazer com que você pense que esta estratégia pode não ser tão eficaz, certo? No entanto, o remarketing, quando bem feito, dá muito resultado.

E por que isso acontece? Não é muito comum um consumidor fazer uma compra logo na primeira pesquisa ou visita ao seu site. Isso também ocorre para a geração de leads (nem sempre um potencial cliente vai converter na primeira vez que viu seu site ou landing page).

Sabemos que a jornada de compra do consumidor não é nada linear. Isto significa dizer que um potencial consumidor pode ter vários pontos de contato com sua marca antes de uma conversão.

Ex. uma pessoa pode ser impactada por um anúncio de sua marca nas mídias sociais, acessa o seu site e não converte. Depois de 2 dias ao procurar no Google por um termo relacionado ao seu negócio, se depara com seu site novamente na busca orgânica (SEO) e ainda não converte. No dia seguinte a pessoa pode digitar o endereço de sua URL diretamente e converter no site.

Esta jornada multifacetada é a realidade e o remarketing pode ajudar muito na conversão de potenciais clientes. O principal objetivo da estratégia de remarketing é aumentar as conversões.

Para evitar ser a “empresa chata”, você poderá utilizar boas práticas como o limite de frequência e número de dias para “perseguir” seus potenciais consumidores. As principais ferramentas de mídia como Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads e TikTok Ads oferecem estas opções e você pode utilizá-las para não saturar seu potencial cliente com muitas impressões.

Conclusão

Inserimos aqui alguns dos mitos de marketing digital que são comuns em nosso dia a dia. Mesmo que você já tenha alguma bagagem no mercado ou esteja começando a aprender marketing digital agora, estes mitos possivelmente vão estar presentes. Vale a reflexão: você concorda conosco? Se faz sentido, será que você já “caiu” em algum destes mitos?

Poderíamos aqui ter citado outros mitos de marketing digital comuns no mercado pois com certeza haveria espaço. Faltou algum mito importante em sua opinião? Adoraríamos saber!

Dica Final

Se você está iniciando no universo de marketing digital ou mesmo já tem algum tempo na área, faço o convite para que conheça nosso Curso de Marketing Digital Grátis para Iniciantes. Faça sua inscrição e comece agora mesmo!